A Espanha de Cervantes além de Dom Quixote

É um fato que a obra literária mais importante da língua espanhola é Dom Quixote e muito tem sido visto e escrito sobre o seu conteúdo e a apaixonante descrição daquele lugar de La Mancha, que Miguel de Cervantes dá dentro deste trabalho em particular, mas também é importante que Dom Quixote não é o único legado de Miguel de Cervantes, e dentro de seus outros textos literários ele descreve igualmente apaixonadamente e detalhadamente muitas outras partes da Espanha de seu tempo, convidando seus atuais leitores a seguirem seus passos e conhecer a ambientação que seu trabalho oferece.
Sevilha como uma grande inspiração para Cervantes
Miguel de Cervantes trabalhou em Sevilha durante 13 anos como cobrador de impostos e, devido a isso, a Sevilha inspirou uma grande parte do seu trabalho. Em sua história (Riconete e Cortadilho), Miguel de Cervantes descreve majestosamente a cidade mais rica da Europa no século XVI, e como seus personagens principais, o jovem Pedro del Rincón e Diego Cortado, decidiram fugir de casa para seus pais em busca riqueza e oportunidade. Eles vão para a capital de Andaluzia para começar uma nova vida na cidade animada que estava murada entre as portas de Carmona e La Carne, com o seu rio Guadalquivir e a Torre del Oro, além do barulho das ruas onde eles fazem do jogo de veintiuna (o blackjack atual) uma de suas fontes de renda. Por acaso, essa história tem a mais antiga menção conhecida do jogo de blackjack de acordo com Betway Casino, porque foi escrita entre 1601 e 1602, o que implica que as pessoas ja jogavam veintiuna antes e foi em 1613, quando este trabalho foi publicado no livro Novelas Exemplares, o qual pode ser encontrado na atualidade na Amazon.Hoje em dia, a Andaluzia continua a mostrar sua riqueza cultural em lugares como a Catedral de Sevilha ou a Alameda de Hércules, que são alguns dos lugares que já existiam nos tempos de Rinconete e Cortadillo.
09
Miguel de Cervantes nasceu em uma cidade chamada Alcalá de Henares, localizada a cerca de 35 km da Madri e após suas viagens na Itália, e o tempo que passou como prisioneiro na Turquia, voltou a Madri para seus últimos anos de vida perto de sua esposa e filha. Cervantes menciona Madri como uma cidade excitante e cosmopolita, na sua obra do século XVI Persiles e Sigismunda, onde os protagonistas fazem parte de sua viagem a Madri, descrevendo a beleza do Palácio Real que é possivel visitar hoje em dia com os jardins de Sabatini, enquanto eles aproveitavam o bom tempo que a cidade continua a oferecer aos seus visitantes. Pela parte de Salamanca, Cervantes descreve em grande detalhe a cidade dentro da comédia El Licenciado Vidriera (O licenciado Vidraça), com muitos lugares que ainda podem ser vistos em pé hoje, como a Universidade de Salamanca, onde o personagem principal realiza seus estudos ou o Convento de Salamanca, onde conhece ao frade que o ajuda na história. Neste trabalho, Cervantes relata a viagem de Tomás Rodaja, de sua natal Málaga para Salamanca, onde realiza estudos universitários na lei e encontra uma mulher que o enfeitiça quando ela não sente que seu amor seja retribuído por Tomás, fazendo-o sentir como se seu corpo fosse de vidro e frágil, em constante perigo de ruptura e morrer. Apesar disso, Tomás procura mostrar seu vasto conhecimento com as pessoas de Salamanca e chamando a si mesmo O licenciado Vidraça e eloquentemente respondendo a todas as perguntas que lhe fizeram os cidadãos nas ruas de Salamanca.

*Fonte

Miguel de Cervantes amou a Espanha que hoje é possível contemplar dentro de suas praças, conventos, universidades e palácios e através da literatura, procurou compartilhar o amor por seu país, através dos lugares visitados por seus personagens. Após das suas viagens de barco e a cavalo pela Europa, e após de batalhar na Itália contra os arabes e ser preso na Argélia como prisioneiro de guerra, Cervantes voltou a Espanha para se dedicar a escrever. No fim dos seus dias partiu a Madri e pediu para ser enterrado no mesmo Convento das Trinitárias Descalças, onde sua filha Isabel de Saavedra viveu e sua esposa Catalina de Salazar y Palacios foi enterrada. Ao dia de hoje, uma placa esculpida em homenagem ao escritor espanhol está no lado norte do convento, fazendo notar o seu lugar de descanso e permanece como um símbolo perene dentro da Espanha que ele tanto amou.
#Explore #Compartilhe e #VolteSempre
Siga o aventure-se.com no Instagram | Siga no Twitter
Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em Informação e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para A Espanha de Cervantes além de Dom Quixote

  1. Que legal saber mais sobre Miguel de Cervantes!!! Eu conhecia Dom Quixote mas realmente não sabia de outras obras. Obrigada por compartilhar um pouquinho mais sobre ele, já fiquei com vontade de voltar a Espanha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s