Islândia, descubra as belezas da Terra do gelo e dos vikings

Uma viagem à Islândia é sinônimo de descobertas inusitadas, isso porque a terra do gelo guarda relíquias da era medieval e um encantado mundo ainda presente da cultura viking. Vamos descobrir os segredos dessas terras!
Entre a europa continental e a Groelândia, o país é uma grande ilha, a capital e mais populosa cidade é Reiquiavique. E é na capital que você pode participar todos os anos no mês de junho do Festival Viking de Hafnarfjörður, uma reprodução de uma vila viking é construída e há vasta programação.
terra do gelo

Foto divulgação

Admire o sol da meia-noite!

A cidade se localiza perto do círculo polar ártico, imagine que no inverno os dias só têm 4 horas de duração. Durante o verão não há noites, por isso é possível ver o sol da meia-noite. É nesse período que os habitantes curtem as casas de verão, quando a temperatura está  amena, por volta de 10°.
Não há como ficar na Islândia sem adentrar um pouco na  história da cultura viking. Os vinkings, ou seja, os exploradores nórdicos da época, permanecem vivos não só pela história da exploração daquelas terras, mas na programação cultural e artística da região, como as sagas vikings. Uma das esculturas mais conhecidas e que faz parte do cartão-postal da cidade é um barco viking, com um certo ar de modernidade, próximo ao porto da cidade.
Acredita-se que a Islândia foi povoada inicialmente por volta do século IX. Entre os anos de 1262 a 1814, foi colônia do  Reino da Dinamarca e Noruega. Após muitos acordos políticos, tratados e guerras, o país passou por período de reinado, entre 1918 a 1944. Hoje é uma república parlamentarista, desde 17 de junho de 1944. A língua oficial é o islândes, com origens na língua nórdica.
Como a maior parte da população se encontra na capital, é fácil prever que toda a efervescência cultural também se encontra por lá. Logo ao chegar na bela cidade os telhados coloridos vão chamar a sua atenção, dão um certo ar gracioso à cidade. Os habitantes são conhecidos por serem agradáveis e receptivos.
Uma natureza quase intocável
A natureza exuberante do país atrai muitos turistas, a região é rica em gêiseres, piscinas quentes de lama e os glaciares. A presença de vulcões também é algo que afeta e embeleza a paisagem do país. Uma das ilhas descobertas recentemente, em 1963, e que está na lista da Unesco, é resultado dessa mudança no relevo, é a ilha vulcânica Surtsey.
A Igreja Hallgrimskirkja foi construída para imitar a larva de um vulcão, é uma das igrejas luteranas que se destaca na cidade. A mais antiga é a Igreja Domkirkjan. A praça Austurvollur é um local de encontro dos moradores e visitantes, onde você pode se aquecer nos cafés, bares e restaurantes. A estátua do líder do movimento de independência Jón Sigurðsson fica no seu centro. O hotel Borg e a Casa do Parlamento ficam situados próximo.
Ar puro e vistas deslumbrantes é o resultado que você tem ao descobrir as paisagens ao redor da cidade com cachoeiras e montanhas. O revelo é tão característico que as joias e bijuterias locais são feitas de pedras vulcânicas, uma ótima ideia para levar como lembrança da viagem.

Prove os sabores da Islândia

Na hora de descobrir o que comer, você já sabe, se você está em uma ilha, é bom aproveitar os peixes frescos, quer dizer, às vezes podre! É que é costume no país comer o Hákarl , turarão podre. É uma iguaria com um cheiro quase insuportável para os menos avisados, é aconselhável tampar o nariz na primeira vez que você prová-lo, servido?
Se você quiser provar outro prato bem tradicional, tente saborear o chamado Þorramatur. É o prato nacional e uma homenagem à cultura antiga, feito com pedaços de vários tipos de carnes e partes de animais como cabeça de ovelha, salsicha de fígado, peixe seco, entre outros.
Mas se você preferir algo mais leve, um dos lanches preferidos dos moradores é o cachorro-quente, chamado de pylsa. Parte da culinária da islândia, muito influenciada pela cozinha dinamarquesa e norueguesa, tem também em seus pratos a carne de cordeiro.
Para aliviar, uma sobremesa. As panquecas são famosas entre os islandenses. Vai bem também no café da manhã com cobertura de chocolate.
A bebida mais famosa no país e que serve para amenizar o frio é a aguardente Brennivín, feito da polpa da batata fermentada.
Para entrada no país, como a Islândia é signatária do Acordo de Schengen, não há necessidade de visto para períodos até 90 dias como turista. Tenha seu passaporte com validade mínima de 6 meses e seu seguro de viagem internacional. E o mais importante, uma boa câmera e disposição para os incontáveis registros na ilha gelada.
Por Roberta Clarissa
* Post patrocinado
 Curta o aventure-se.com no Facebook  | Siga no Twitter
Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em viagens e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s