A eterna Paris

Se há uma cidade que nunca sai de moda, essa é Paris. Eternizada pelo romantismo de suas ruas e pontes, pela atmosfera poética das chansons francesas, não há como não se seduzir pela Cidade Luz. Seja uma viagem a dois, sozinho ou em grupo, há lugares para encher os olhos de todos.

Torre mais famosa do mundo

Um dos cartões postais que imprime à cidade um ligação direta e íntima é a Torre Eiffel, mas uma visita a esse ponto não guarda somente a beleza de subir nos seus 325 metros e fotografar Paris lá de cima.
torre mais famosa do mundo

Torre Eiffel

Foi desenhada por Gustave Eiffel, para ser exibida na exposição universal de 1889. No pé da torre, ao longo do vasto gramado, visitantes e locais dividem a grama em eternos piqueniques, a cada hora cheia quando a torre acende e brilha por alguns minutos os brindes e as comemorações se espalham, assim é um fim de tarde e início de noite embaixo da torre mais famosa do mundo.
Para um turista conhecer os pontos principais da cidade, o melhor é dividir por partes, e em cada área sentir o sabor parisiense que encanta a cada turista.
Sacré-Coeur e Montmarte
Uma parte mais alta da cidade, onde lá no topo está a Basílica Sacré-Coeur, a construção branquíssima construída em pedra de tavertino representa o símbolo católico em Paris. Em frente, há escadarias e um gramado onde muitos turistas sentam para apreciar a vista.
igreja famosa na franca

Basílica Sacré-Coeur

Montmarte é o bairro onde não só a bela basílica se encontra, mas a atmosfera boêmia de Paris está pelos ares. Tradicional ponto de artistas, poetas e boêmios , como a praça “Place tu Tertre”, com suas inúmeras tendas de pinturas e obras de arte, inclusive as famosas caricaturas. Na mesma região está o Moulan Rouge, na zona de Pigalle, contruído em 1889, símbolo da Belle Époque, é um típico cabaré, hoje ponto turístico muito disputado, com espetáculos diários.
Para quem quer apreciar uma noite artística não pode deixar de ir para o Au Lapin Agile, local preferido de visita de Picasso. É um cabaret aconchegante, famoso destino de intelectuais no século XX. Hoje músicos tocam acordeon, piano e violão e interpretam famosas canções de artistas franceses.
Outros pontos de destaque: Igreja St-Pierre de Montmarte; Espace Dalí Montmarte; Musée de Montmarte.
Ile de la Cite e Ile St-Louis
 O Rio Sena é também símbolo de Paris. É nele que está a “pequena ilha da cidade”, cuja história se confunde com a da própria cidade. Foi local de poder político na Idade Média, desde o perído da conquista de Julius Caesar.
Hoje o grande destaque é a Catedral de Notre Dame, um exemplo extraordinário da arquitetura gótica, sua construção teve início em 1163 e foi terminada em 1330. Sua imagem e suas gárgulas, que estão no alto da catedral, ganharam vida e se eternizaram na obra de Victor Hugo, em 1831, o romance “Notre-Dame de Paris”, quem não conhece a estória da paixão de Quasimodo pela cigana Esmeralda, em O Corcunda de Notre-Dame?
Muitos turistas esperam nas longas filas para entrar e apreciar a parte interior da catedral, destaque para a Pieta, as rosáceas (os vitrais coloridos)e claro a torre – de onde se tem uma vista ampla de Paris, e de onde pode-se observar de perto as famosas gárgulas.
Nesta mesma área, vale a pena um passeio pelo mercado Marché aux Fleurs et Oiseaux, Mercado de Flores e Pássaros de Paris. Um passeio bucólico para apreciar um pouco as particularidades do dia a dia dos franceses.
Andando mais adiante você encontra a Saint-Chapelle, por causa de sua beleza foi chamada de “caminho para o paraíso”. Foi construída em 1248 a pedido de Luis IX.  Destaque para os conjuntos de vitrais emoldurados.
Outros pontos de destaque: Conciergerie; Crypte Archéologique; Palácio da Justiça.
Latin Quarter – bairro latino
Esta parte de Paris é dominada pela Universidade de Sorbonne e recebeu este nome no passado por causa da presença de estudantes de latin. Além dos vários cafés, restaurantes e bares em suas ruas estreitas, destacam-se a famosa livraria Shakespeare & Co, as igrejas St-Julien-le-Pauvre e St-Séverin, construída no século 13.
Partindo daqui você encontra o Panthéon. Foi construído a pedido de Louis XV, uma forma de agradecer a sua recuperação à Santa Genoveva (padroeira de Paris), quando sua doença quase o levou a morte em 1744. Na cripta estão enterradas inúmeras personalidades da literatura, ciência e política, como Alexandre Dumas, Émile Zola, Rousseau, Marie Curie, Victor Hugo e Voltaire, entre outros.
Bairro de Luxembourg
Aqui o Jardim e Palácio de Luxembourg dominam pela sua grandiosidade e beleza parisiense. Aberto ao público desde meados do século XIX, é um ótimo local para passar uma tarde inteira, entre jardins, lagos e fontes; além do Palácio, onde funciona atualmente o Senado Francês.
Outros pontos de destaque: Place St-Sulplice; Igreja St- Suplice.
Champs-Elysees
Mais um ponto que se tornou símbolo da capital francesa. Daqui duas avenidas formam uma área viva e agitada, Avenia Champs-Elysees e Rua St-Honoré. O Arco do Triunfo atrai olhares de quem quer que passe, na área há restaurantes e lojas de grife.
A ponte mais bela sobre o Rio Sena é a Ponte Alexandre III, um exemplo de Arte Nouveou, foi construída entre 1896-1900. Do mesmo período é o Grand Palais e Petit Palais. Esse conjunto de monumentos tem uma ligação com a Exibição Universal de 1900, época de grande exposição da arte e tradição da cultura francesa.
Outros pontos de destaque: Avenida Montaigne; Palais de la Découverte.
Invalides
Parece que não tem fim o que ver e visitar em Paris. O Hôtel des Invalides, cujo nome se extendeu ao bairro, foi construído em 1671. A origem vem do fato de feridos de guerra serem trazidos aqui, os inválidos do exército de Napoleão.
É um complexo monumental com a catedral de Saint-Louis-des-Invalides, destaca-se sua cúpula dourada, sob ela está o sarcófago de Napoleão Bonaparte.
Outros pontos de destaque: Museu das Armas; Museu Rodan; Panthéon Militar.
Para quem viaja a Paris pela primeira vez, fica difícil de escolher quais pontos são os mais importantes e que não podem deixar de ser visitados. O Museu de Louvre, também com sua imagem intimamente ligada à Cidade Luz, merece um capítulo à parte. Outro “must go”, é o Palácio de Versailles, situado a 16 km do centro de Paris, assunto para mais um post dedicado a ele.
Por fim, a gastronomia francesa com suas pâtisseries, crepes e cafés certamente vão ser os melhores momentos para descansar das andanças pelas ruas medievais de Paris.
Por Roberta Leite, colaboradora do site Seguroviagemnota10
#Explore #Compartilhe e #VolteSempre
Siga o aventure-se.com no Instagram | Siga no Twitter
Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em viagens e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s